Falem de bem

Do saudoso Itamar Espíndola, em roda no Clube do Advogado, quando alguém definiu Lúcio Brasileiro como muito inteligente: Não, inteligentes somos nós, ele é talentoso, ele cria.

Amaciando ego

Quando Bonaparte e Salomão Maia procuravam um cronista social, como se dizia na época, o Eutímio Moreira foi inicialmente cogitado, porém, numa reunião de que participei, no escritório deles, na Major Facundo, o grande advogado José Cardoso de Alencar estabeleceu: “Em minha opinião, o Lúcio Brasileiro é quem mais agrada às mulheres.” Foi então que a balança pendeu para o meu lado, e os irmãos me contrataram, ensejando minha participação na maior aventura da imprensa cearense em todos os tempos.

Amaciando ego

Ainda bem de saúde, o Lustosa da Costa estabeleceu o seguinte para o nosso comum amigo Antenor Barros Leal: Ainda bem que no Ceará ainda restou o Lúcio Brasileiro, pra gente ter com quem conversar.

Sabedoria

Falecido advogado Itamar Espíndola assim se expressou numa roda no Clube do Advogado, na Praça do Ferreira: O Lúcio Brasileiro não é apenas inteligente, inteligentes somos nós, ele é talentoso, ele cria.

Amaciando ego

Delegada Margarida Borges ia entrando numa feira, quando desconhecido abordou: É verdade que você rompeu com o Lúcio Brasileiro? E a resposta dela foi: Com o gênio não se briga, com o gênio a gente aprende.

Acalentando ego

Do principal fundador da Faculdade de Medicina, Dr. Jurandir Picanço, ouvi, em sua própria casa da Santos Dumont: Você é o árbitro do bom tom entre nós.

Acalentando ego

A minha amiga maior, Lurdes Gentil, aristocrata da cana-de-açúcar pernambucana e descendente do Barão de Suassuna, além do mais, sendo de berço uma Carneiro da Cunha, um dos mais puros clãs maurícios, disse-me certa vez no Castelo de Bolso: Você é que é feliz, até mesmo porque todo mundo gosta de você.

Amaciando ego

No início dos anos 60, eu estreara, há pouco, em O POVO. Encontrei, em frente ao São Luiz, dona Creusa do Carmo Rocha, que era dona do jornal, e ela, alegremente, passou-me: O Paulo está adorando tua coluna. Tratava-se, como se sabe, do genro dela, o Sarasate, que era quem apitava. Quer dizer, meu emprego, então, ia muito bem.

Amaciando ego

Amaciando ego O advogado militante Itamar Espíndola garantiu numa roda de colegas: O Lúcio Brasileiro não é apenas inteligente, inteligentes somos nós, ele tem talento, ele cria.

Amaciando ego

Eu estava com o Zé Macêdo em casamento da altíssima roda em São Paulo, quando se aproximou o Tavares de Miranda, o Papa do Colunismo Social Paulista, a quem meu amigo José foi logo estabelecendo: "O Lúcio é o Ibrahim Sued do Ceará, só que alfabetizado". O Tavares parece que não gostou, certamente desejando que o José Macêdo tivesse dito: "O Lúcio Brasileiro é o Tavares de Miranda do Ceará". Aliás, o pernambucano que dominou sociedade paulistana por décadas era também muito bem dotado intelectualmente e tinha sido poeta em seu torrão natal.