Aos pés

Com a proliferação dos bifês, tudo mudou. Todavia, se é pra ser em casa, não necessariamente, como antigamente, na dos pais da noiva. Exemplo, se estes residem em zona perigosa, passa a prevalecer a dos pais do noivo, influindo também questão das posses financeiras e do tamanho dos locais.

Aos pés

Quando o casamento fica acertado, os pais dos noivos se reúnem imediatamente para tratar do delicado tema das despesas. Sei perfeitamente que esse assunto dinheiro não é confortável para ser pautado, porém essa providência é inevitável, para evitar transtornos posteriores.

Aos pés

Numa recepção de casamento, ninguém pode sair antes que os noivos partam para a noite de núpcias e a lua de mel. A não ser que se trate do Governador de Estado.

Aos pés

É feiamente redundante pôr em convite de casamento “têm o prazer” ou, ainda pior, “têm a honra”, até mesmo porque ninguém jamais convidou alguém com desprazer ou com desonra.

Aos pés

Quando o casamento programado é desfeito, os presentes devem ser devolvidos, a não ser aqueles que já foram gastos, como, por exemplo, vestuário, perfume ou objetos de cama e mesa.

Aos pés

Faz muitos anos que não compareço a casamentos nem a qualquer acontecimento social nesta cidade medonha. Soube, entretanto, que as noivas não mais atiram o buquê pras amigas após a cerimônia. Certamente porque, quando ela casa, as amigas já o fizeram antes, ou se juntaram, o que vem a dar quase na mesma coisa.

Aos pés

Não é que seja errado, porém o endereço dos pais dos noivos, nos pergaminhos de casamento, sugere que os convidados devem enviar o presente nupcial.

Aos pés

Hoje em dia, a proliferação de bifês estabeleceu ser este local preferido para recepções de casamento. Agora, sendo em casa, não é obrigatório que seja dos pais da noiva, alguns fatores levando para a dos pais do noivo, começando pelo tamanho da residência e o local onde se situa.

Aos pés

Melhor presente de casamento ainda é um quadro pra pôr na parede, pois pelo menos o doador fica sabendo que ninguém dará outro igual.

Aos pés

É possível convidar patrão para padrinho de casamento, porém tem de haver forte razão afetiva, pois, do contrário, o empregador vai pensar que o noivo ou a noiva quer aumento.