Oferenda

Um quadro é um presente que se presta esplendidamente para se mimosear casantes, dando, inclusive, ao presenteador, a certeza de que ninguém dará outro igual, ainda que o pintor possa ser o mesmo.

Aos pés do altar

Costumam botar “Após a cerimônia religiosa”, os noivos receberão os cumprimentos no bifê tal... Ora, isso é redundante, porque ninguém cumprimenta noivos “Antes da cerimônia religiosa”.

Aos pés do altar

Não é muito utilizado, porém um grande presente de casamento será sempre um quadro, tendo, inclusive, a vantagem da garantia do pintor que não terá outro igual.

Aos pés do altar

Para casamentos, não se convida mais a Excelentíssima Família, também não se usa Dr., quando se trata, por exemplo, de um médico, apenas Sr. e Sra.

Aos pés do altar

Em convite de casamento, não se usa mais “Têm a Honra” ou “Têm o Prazer”. Os pais dos noivos simplesmente convidam, pois não cabe na cabeça de ninguém convidar alguém pro casamento dos filhos com desonra ou desprazer.

Aos pés

Com a proliferação dos bifês, tudo mudou. Todavia, se é pra ser em casa, não necessariamente como antigamente, na dos pais da noiva. Exemplo, se estes residem em zona perigosa, passa a prevalecer a dos pais do noivo, influindo também questão das posses financeiras e do tamanho dos locais.

Aos pés

Padrinhos ou meros convidados abastados podem perfeitamente presentear os noivos em dinheiro. Agora, a única oferta que não pode ser feita é o quarto dos nubentes, que aí caberá exclusivamente ao casante.

Aos pés

Quando o casamento programado é desfeito, os presentes devem ser devolvidos, a não ser aqueles que já foram gastos, como vestuário, perfume ou objetos de cama e mesa.

Aos pés do altar

Rigorosamente, portão principal da igreja deveria ser reservado aos noivos, porém acontece que isso nunca é cumprido.

Aos pés do altar

Tem um presente que ninguém deve dar em casamento, nem se for padrinho. Trata-se do quarto do casal, cama, guarda-roupa, cômoda, criado-mudo, pois é uma exclusividade do noivo.