Aos pés

É muito importante que os pais dos noivos promovam uma recepção sem sair de seu orçamento, pois dispender além das posses constrangerá os convidados e, além do mais, é bastante desagradável credores à porta na hora da ressaca, no dia seguinte.

Aos pés do altar

De nenhuma maneira, o envelope do convite de casamento pode trazer, nem que seja escrito a mão, o endereço do recebedor. Naqueles da própria cidade onde vai acontecer a cerimônia, o motorista entregador, que pode muito bem ser um motoqueiro, coloca os endereços num caderno à parte. Se enviado pelo Correio pra outra cidade, um envelope cobrirá o do convite, e aí então será posto o endereço.

Aos pés

No envelope de convite de casamento, constará unicamente “Senhor e Senhora”. O “Excelentíssima Família”, faz muito tempo, não é mais utilizado, sugerindo que o casal convidado não tem o direito de levar outros parentes, nem os filhos.

Aos pés

Faz tempão, deixou de valer o “Exma. Família” nos convites de casamento, tendo muito contribuído para isso a questão de espaço, na igreja e na recepção, e obviamente também de bolso.

Lei da compensação

Pobre não precisa julgar que o namorado da filha está pretendendo tirar uma casquinha em seu dinheiro, em suma, dar o golpe do baú.

Aos pés

O casamento não é um acontecimento leve, sobretudo quando a noiva atrasa e o celebrante decide detalhar seu relacionamento com as famílias envolvidas. Sem falar no nó da gravata, nas velas, que reforçam o calor de quase toda a igreja.

Aos pés

Com a proliferação dos bifês, tudo mudou. Todavia, se é pra ser em casa, não necessariamente, como antigamente, na dos pais da noiva. Exemplo, se estes residem em zona perigosa, passa a prevalecer a dos pais do noivo, influindo também questão das posses financeiras e do tamanho dos locais.

Aos pés

Quando o casamento fica acertado, os pais dos noivos se reúnem imediatamente para tratar do delicado tema das despesas. Sei perfeitamente que esse assunto dinheiro não é confortável para ser pautado, porém essa providência é inevitável, para evitar transtornos posteriores.

Aos pés

Numa recepção de casamento, ninguém pode sair antes que os noivos partam para a noite de núpcias e a lua de mel. A não ser que se trate do Governador de Estado.

Aos pés

É feiamente redundante pôr em convite de casamento “têm o prazer” ou, ainda pior, “têm a honra”, até mesmo porque ninguém jamais convidou alguém com desprazer ou com desonra.