Apanhado

Não é correto se dizer que Virgílio Távora foi ministro do João Goulart. Jango era o presidente, mas o regime era Parlamentarista, e o primeiro-ministro, Tancredo Neves. Então, VT foi assessor do mineiro, não do gaúcho.

Momentos são

Posse do bendito general Ernesto Geisel, a última que exigiu casaca, e eu trajava uma do Domenico, portando um convite do deputado peemedebista Fernando Lyra, conseguido pelo Fernando César. Na oportunidade, Dr. Parsifal Barroso me apresentou ao vice-presidente general Adalberto Pereira dos Santos. Verifiquei que estava em minoria, usando sapato de verniz, como estabelece a etiqueta.

Apanhado político

Chico Monte, pouco abonado nas letras, porém de inegável vocação política, foi o primeiro deputado cearense a atingir o quarto mandato, sendo eleito em 46, 50, 54, 58. E morreu como parlamentar, quando a filha única, Olga, era Primeira-Dama.

Apanhado político

Cláudio Correa Lima, tio da Miss Brasil Emília, foi o cearense mais vezes candidato a deputado federal e aquele que menos se elegeu. Concorreu em várias eleições e não obteve um só mandato, sua votação poucas vezes superando os mil votos. No seu cartão de visita, ele botava Suplente de Crisanto Moreira da Rocha, que não podia ser verdade, pois o irmão de Acrísio e Pequim só concorria em coligações.

Apanhado político

Tendo de permanecer no Governo, para garantir a União pelo Ceará, Parsifal Barroso iria ficar sem mandato. Chegou a ser sugerido que ele disputaria uma cadeira de deputado pelo Piauí, enquanto o governador Chagas Freitas disputaria pelo Ceará, isso sendo possível porque não havia ainda o domicílio eleitoral obrigatório. Parsifal garantiria Chagas, e Chagas garantiria Parsifal, porém a ideia não vingou. Na época, comentou-se que, se Chico Monte fosse vivo, Parsifal teria renunciado e se candidatado por aqui mesmo.

Apanhado político

Moema São Thiago estourou nas eleições de 1986 e foi a causa do tio Flávio Marcílio haver perdido a cadeira que mantinha há cinco mandatos. Moema pouco fez, e seus 80 mil votos viraram menos de cinco, no pleito seguinte.

Apanhado político

Governador da Guanabara, o grande Carlos Lacerda vetou o plano de Roberto Marinho, que pretendia faturar construindo cemitério em parque da Zona Sul. Dono do maior jornal, Dr. Roberto não se conformou e rompeu com Lacerda, que depois explicou: Cansei de dizer a Roberto Marinho que não se pode especular com o bem público.

Apanhado político

Escolhido Governador pela Revolução, Plácido Castelo mandou o genro, Dário Macêdo, Chefe da Casa Civil, e o Dário me mandou, convidar o confreiro Juarez Timóteo, para ser seu porta-voz. Fui encontrá-lo de mangas arregaçadas, no meio da tarde, no Correio do Ceará, ainda na Senador Pompeu, e transmiti então o convite oficial. E a resposta do mais íntegro dos meus colegas foi: Vou fazer de conta que não ouvi essa proposta de você.

Apanhado político

Quando Jânio Quadros foi eleito presidente, com aquela fantástica maioria, seu vice, o mineiro Milton Campos, perdeu por apenas 200 mil votos. Se houvesse ganhado, com Milton na garupa, Jânio não teria renunciado, pois só o fez por não crer que o Exército entregasse o poder ao Jango. E o Brasil, então, teria se livrado de um de seus presidentes mais vacilantes e incapazes. E Jânio, que fazia uma administração de alta moralidade, teria sido sucedido pelo Carlos Lacerda, e nem precisava a Revolução de 64.

Apanhado político

Parece ser verdadeira a história que se espalhou pelo País que, quando foi cassado pela Revolução de 1964, o governador Ademar de Barros pretendeu reunir todo o secretariado, para uma histórica foto de despedida. Acontece que, a essa altura dos acontecimentos, alguns auxiliares sumiram. Ademar imediatamente autorizou seus policiais a caçarem os fujões por toda a cidade, para que o flagrante saísse completo.