Cinema de véspera

Quando se soube, em Hollywood, que a atriz Lauren Bacall tinha traído o marido, e logo com Frank Sinatra, uma amiga lhe perguntou: Como é que uma mulher tem coragem de trair um homem como Bogart? E a resposta: Eu também pensava assim, até que aconteceu.

Cinema de véspera

O cidadão Amadeu Barros Leal merece um estudo sério, pois teve a ousadia de, com sua empresa Cinemar, enfrentar o onipotente Severiano Ribeiro. Abriu cinco casas, sendo a primeira o Jangada, na Floriano Peixoto; depois, Samburá, na Major Facundo; veio, então, o Araçanga (depois Art); o Atapu, na Joaquim Távora com Pontes Vieira; e na Praça José de Alencar, o Toaçu, que muito pouca gente sabe que existiu.

Cinema de véspera

Não tendo ainda televisão, cada subúrbio tinha o seu cinema. Alguns bairros tinham dois, como, por exemplo, Otávio Bonfim, que mantinha o Familiar, dos padres, na praça, e Nazaré, ali bem pertinho, por trás da Sumov. Mais ou menos em 1953, quase todas essas casas exibidoras foram extintas.

Cinema de véspera

Marylin Monroe estava protagonizando “Adorável Pecadora” com ator francês Yves Montan. Uma fofoqueira telefonou para Paris, sugerindo à mulher de Montan, Simone Signoret, que a dupla estava levando a tela para a vida real. Simone disse apenas “isso passa”, e realmente passou, pois seu marido, terminado o filme, voltou pra ela e esqueceu la Monroe.

Cinema de véspera

Maior filme inglês de todos os tempos, provavelmente, terá sido o “Terceiro Homem”, pretensamente passado nas ruínas de Viena no após-guerra. Nele, o grande Orson Welles faz uma ponta como falsificador de penicilina, que mata ou aleija milhares de crianças, e, aparecendo em cena três ou quatro vezes, rouba o espetáculo.

Cinema de véspera

Humphrey Bogart partiu aos 57 anos, vitimado por um câncer de esôfago, provavelmente proveniente do cigarro. A cirurgia a que se submeteu levou 13 horas, e ele ainda durou algum tempo. Alguns amigos vinham, no final da tarde, tomar um uísque com ele, que bebia com muita água. Seu último filme foi “A Trágica Farsa”, que ele trabalhou já doente.

Cinema de véspera

Ingrid Bergman não dava pelota pra jornalista. Quando devolveu um convite da fortíssima Louella Parsons, o tempo fechou. Ao saber, diretor do estúdio disse à sua maior atriz que não podia proceder assim, e um acordo foi feito. A companhia pagaria, mas Ingrid não compareceria.

Cinema de véspera

Sophia Loren já passara dos 80 quando definiu razão de sua juventude: Faz muitos anos que só janto espaguete.

Cinema de véspera

Ingrid Bergman não foi indicada pro Oscar por “Casablanca”. Seu desempenho, aliás, não merecia. O maior ator do maior filme de todos os tempos foi Claude Rains, que fazia o chefe de polícia, que perdeu injustamente o troféu de Coadjuvante. Bogart foi indicado pro Oscar de Ator Principal, porém perdeu para Paul Lukas, por um filme sobre Pasteur.

Cinema de véspera

Fortaleza teve um cinema que as mulheres entravam para um lado e os homens para o outro. Tratava-se, no caso, do Cine São José, que funcionava no lado oeste da Praça Cristo Redentor. Talvez um caso único no Brasil.