Desta água…

... não beberei, tirar as amígdalas, pois se até agora nenhum médico ousou, adulto é que não permitirei mais.

Desta água…

... não beberei, dizer frases cretinas, como: É sempre bom confiar, desconfiando. O verbo confiar só tem sentido se for pra confiar plenamente.

Desta água…

... não beberei, passar a usar droga, simplesmente porque álcool, vinho e cerveja, principalmente, já me são incentivo suficiente.

Desta água…

... beberei, tomar leite de vaca, que, entre outros malefícios, provoca reações alérgicas, tais asma, dor de ouvido, coriza, catarro, erupções cutâneas e irritabilidade. (Da dra. Gillian McKeith)

Desta água…

... não beberei, depois das excelências das cirurgias em mim praticadas pelos doutores Pedro Leão, Valter Justa e Campos Borges, estabeleci que ninguém mexe mais em mim, apesar de todas três terem resultado em grandes sucessos, vai daí eu continuar vivo, porém pretendo partir com todos os meus atuais pertences.

Desta água…

Não beberei, tentar botar qualquer pessoa para baixo, com algum comentário desagradável. Nem que se trate de um inimigo, que, por sinal, não tenho.

Desta água…

Não beberei, fazer uma refeição tendo na mesa alguém que fique olhando pro relógio. Quem não tem tempo pra jantar ou almoçar com dignidade, que peça em pé um sanduíche ou beba um refrigerante.

Desta água…

Não beberei, fumar, nem maconha, que faz bem à vista, melhorando o glaucoma.

Desta água…

Não beberei, viajar pra ver Copa do Mundo. Estive em duas, Argentina e Espanha, porém o futebol de hoje em dia perdeu muito do velho charme, virou quadrado, sem graça, com os lances se repetindo durante a partida.

Dessa água…

Jamais beberei, comparecer a Copa do Mundo, pois, depois que perdeu Pelé e Maradona, o futebol ficou quadrado, feneceu, quase perdeu a graça toda.