Desta água…

... não beberei, tentar botar qualquer pessoa pra baixo, com algum comentário desagradável. Nem que se trate de um inimigo, que, por sinal, não tenho.

Nunca, nunquinha

Comparecer a reunião social em Fortaleza, que é terra de muro baixíssimo, todo mundo querendo derrubar todo mundo.

Desta água…

... não beberei, cheirar pó, pois o álcool fermentado, cerveja ou vinho, já me inspira o suficiente para proporcionar alegria nas rodas.

Desta água…

... não beberei, tomar banho no Atlântico, a meu ver, o mais indigesto dos oceanos, onde as ondas indiciam que podem quebrar o nosso pescoço. Agora, no Mediterrâneo, ontem, hoje e sempre.

Desta água…

... não beberei, Cartão de Crédito, até já me ofereceram, mas como sou profundamente distraído, iria fatalmente perder e poderia dar um bode maior do que o conforto de possuí-lo.

Desta água…

... não beberei, assistir novela, a última foi Nino, o Italianinho, que revelou para o Brasil os excelentes Aracy Balabanian e Juca de Oliveira, e a penúltima, As Pupilas do Senhor Reitor, com Dionísio de Azevedo.

Desta água…

... não beberei, viajar para Rio, São Paulo, Brasília ou qualquer cidade brasileira que não seja Salvador, única que admito.

Desta água, não…

... beberei. Droga, principalmente porque o álcool já me faz o incentivo de que preciso para que, segundo dizem, seja engraçado e disputado nas rodas.

Desta água…

... não beberei, fazer redução de estômago, pois o tenho do tamanho de uma unha, e afinal Deus nos pôs no mundo com as dimensões que todo órgão deve ter.