Estórias com E

Nelson Rodrigues gostava de relatar o que ocorreu quando cidadão levou a mulher, que nunca tinha ido a um campo de futebol, pela primeira vez ao Maracanã, e ela estreou com a seguinte pergunta: Meu bem, quem é a bola?

Estórias com E

No Ideal dos 250, serviço não era bom, às vezes até estapafúrdio. Quer um exemplo? O repórter almoçava com Helena Jereissati, que pediu um palito ao garçom, chamado Barrão, que não perdeu tempo para demonstrar sua eficiência, como não usava paletó na ocasião, meteu a mão no bolso da camisa, por sinal, encardida, e atendeu prontamente a senhora solicitante, mão a mão.

Estórias com E

Um garçom do Náutico encontrou a carteira recheada de um deputado, no almoço de sábado, e, quando terminou e descobriu, foi à casa do dito cujo, que mal disse obrigado, quando o honesto servidor merecia cinco ou mesmo dez por cento. O político em questão morreu de acidente, logo após sua ranzinagem.

Estórias com E

Sociedade cearense é pobre em histórias picantes, que nos despertam a curiosidade. A última data do ano de 1954, quando uma dama da alta roda contribuiu para que o marido presenteasse à amante com uma placa de brilhantes.

Estórias com E

Quando venderam o Banco Frota, em 1955, os irmãos João e Antônio Gentil ficaram sem casa pra morar. Antônio foi socorrido pela filha Helena Jereissati, e João, que se transferiu para o Rio, foi morar em apartamento alugado de dois quartos, de modo que seus netos, Sandra e Jody, tinham que dormir no mesmo cômodo.

Estórias com E

Saudoso confreiro Armando Vasconcelos foi quem me contou. Chegando ao Presidente Vargas, encontrou o já aposentado Pipiu barrado na entrada, não apenas porque estava bêbado, mas provavelmente, sobretudo, por não ter com que pagar o ingresso, logo ele que, craque da Seleção, tinha dado tantas alegrias aos torcedores, primeiro do Fortaleza e, depois, do Ceará, acontece que futebol também é vida, e a vida é assim.

Estórias com E

Havia um deputado pelo Estado do Rio que tinha sido diretor da Caixa Econômica e ficara rico. Quando veio a Revolução de 64, o general Costa e Silva se tornou todo-poderoso por ser o mais antigo anti-Jango, o Presidente deposto pelos militares. Temendo ser cassado, o deputado ofereceu um jantar ao Ministro da Guerra, caviar e champanhota. Logo que se retirou, Costa e Silva ligou para o pessoal que listava os expurgos e estabeleceu: Este, podem cassar, pois eu vi que é ladrão.

Estórias com E

José Humberto Gondim foi o maior vencedor do Cassino do Ideal e, melhor ainda, ganhou e recebeu, pois quem perdeu foi o Marvin, dono da Brasil Oiticica e Tintas Ypiranga. José Humberto faturou numa noite 800 contos de réis, tendo logo abandonado o maior emprego da época, para quem não tinha diploma, caixeiro das Pernambucanas.

Estórias com E

Dona Olga Barroso foi quem conseguiu, com famoso Sérgio Bernardes, que um dos maiores arquitetos do Brasil traçasse o Palácio da Abolição, o que ele acabou fazendo, porém o resultado, ainda hoje, é discutível, se foi feliz ou nem tanto assim.

Estórias com E

Senhora da sociedade levou uma chapa para o médico e explicou: Tenho a melhor cozinheira do mundo, que me apareceu agora com uma tosse. Após botar material no tira-teima, o doutor foi dogmático: Pode arranjar outra cozinheira. Acontece que era dela, a dona da casa.