À guisa da informação

Chamo “civil” o convidado para um jantar ou uma festa que não tinha obrigação de ser chamado, quer dizer, não é aparentado dos anfitriões.

Serviço que serve

Garçom barbado, corta essa, como também garçom barbudo. A indicação aponta que se apresente sempre de cara lisa, lavada. evitando também as horríveis costeletas.

A evitar

Encontrando o marido não é inteligente perguntar pela mulher, e encontrando a mulher, também não é pertinente perguntar pelo marido. Quem o faz, só consegue evidenciar precária veia de criatividade e talento.

Embaixo

Toda mesa, sobretudo em se tratando de restaurante, deve ter um forro por baixo da toalha. Só que o apoio em questão deve ser sempre de feltro, e jamais de plástico ou tecido comum. Tem a missão de diminuir o impacto dos talheres e absorver o líquido derramado por algum copo.

A diferença

Quando se oferece um vinho ou uma cerveja ao visitante, nunca se deve utilizar a palavra drink, porque ambos não o são. O correto é “aceitas um copo de vinho?” ou “aceitas uma cerveja?”, sendo drink mais apropriado para as bebidas destiladas, tais, principalmente, como uísque e vodca.

Ritual

Só se bate os copos em um brinde, quando o homenageado ou a quem se pretende brindar encontrar-se ausente, porém, se estiver presente, os brindantes apenas levantarão os copos ou as taças.

Pecadilhos

Não se usa faca para comer espaguete, a colher substitui. Posso até mesmo afiançar que quem pede a faca ao garçom nada entende do famoso prato italiano, favorito de Sophia Loren.

Pecadilhos

O paliteiro, mesmo de prata de lei ou peça de família, não comparece à mesa, ficando sempre no toalete, para quem dele não pode prescindir, porque não é o paliteiro que é feio, desagradável é ver alguém palitar.

Etiqueta

Copo de pé, que serve pra água, refrigerante, cerveja e até, nas carências, vinho branco, tinto ou rosé, entre nós é erradamente chamado de taça, que é aquele recipiente mais aberto e menos alto, sobretudo de cristal, que se presta pra receber champagne, embora atualmente não seja mais tão usado.

À mesa

Comer camarões num jantar mais ou menos de cerimônia não apresenta grandes dificuldades. Com os dois talheres, se separa a cabeça do corpo, depois corta as patas com a faca e saca a carne com o garfo.