Mestre escola

A palavra “quilo” se escreve com “QU”, sendo a letra “K” somente utilizada nas abreviaturas de unidades e medidas, tal Kg (quilograma).

Golpe de mestre

“Ele a namorou”, aí o verbo é transitivo direto; “Ele namorou com ela”, aí o verbo é transitivo indireto; “Eles namoraram”, quando o verbo, então, é intransitivo.

Golpe de mestre

“Eu acho...” Bem, não está errado, porém assume ares imperativos. Prefira “me parece” ou “suponho”, mais fácil de ser absorvido pela roda ouvinte.

Golpe de mestre

“Vende-se casas” ou “Vendem-se casas”? Tomando por base que o “se” não pode ser sujeito, corretamente você escreverá “Vendem-se casas”, sendo “casas” sujeito. Acontece, porém, que “Vende-se casas” não está errado, pois é a maneira de se dizer “A gente vende”, sendo, então, “a gente” o sujeito.

Golpe de mestre

A forma correta é “Onde está”, isso querendo dizer que “Aonde está” não faz parte da completa correção, pois só deve ser usado com verbos que implicam em movimento, por exemplo: “Aonde vais é legal.”

Golpe de mestre

Segundo o prof. Sérgio Rodrigues, não há erro algum na frase “Correr Atrás do Prejuízo”. Existe, porém, quem ache que só um louco persegue o prejuízo, quando o que querem as pessoas normais é fugir dele.

Golpe de mestre

Em Portugal, “cheguei a casa” é uma construção naturalíssima, mas em português, gerações preferem “cheguei em casa”.

Golpe de mestre

Em seu livro Viva a Língua Portuguesa, Sérgio Rodrigues explica que lavagem de dinheiro é versão da expressão inglesa money laudering e que, em Portugal, se diz frequentemente de capitais, pretendendo significar limpar a moeda ilegal, quer dizer, suja.

Golpe de mestre

“Que eu gosto” ou “de que eu gosto”? Segundo o livro Viva a Língua Brasileira, do prof. Sérgio Rodrigues, o correto será sempre dizer “alguém de que (ou de quem) eu gosto”, porque o verbo “gostar”, transitivo indireto, exige a preposição “de”.

Golpe de mestre

A forma correta é “haja” no singular. Assim, “espero que ‘hajam’ bilhetes para o cinema” está errado.