Mestre-escola

Nunca diga “Vou viajar com companheiros”, porque o “com-com” não soa bem. Diga, então, que vai “viajar com amigos” ou “com parceiros”.

Mestre-escola

Mestre-escola Ao contrário do que se possa pensar, falar "vou subir pra cima" ou "vou descer pra baixo" não está errado, são apenas situações enfáticas que o vernáculo permite, como também "eu vou te dizer a ti", o primeiro te sendo objeto direto, e o segundo ti, objeto indireto.

Mestre-escola

A crase consiste na junção de um artigo com preposição e não pode ser usada antecedendo nomes masculinos. Ainda hoje, tem gente que confunde porque se põe crase quando se diz "Eu vou à Itália", não sendo procedente fazer o mesmo na frase "Eu vou a Roma". Acontece, simplesmente, que a gente não diz "A Roma é uma bela cidade", porém "A Itália é um belo país". Para ensejar a crase, tem de haver a junção de dois As: A artigo e A preposição.

Mestre-escola

Embora não completamente errado, mas também certo não é, começar frase por pronome oblíquo. Assim, em vez de dizer "Me parece", opte por "Parece-me".

Mestre-escola

Muita gente diz assim, mas não está correto, pois não existem duas opções. Opção é uma só, embora possa ter sentido plural. Desse modo, "estou entre duas opções" cede lugar a "tenho uma opção para o fim de semana, Maranguape ou Guaramiranga".

Mestre-escola

Embora não seja completamente errado, não é pertinente começar uma frase com "Eu acho...". Fica muito imperialista. Assim, sempre recomendo, no rádio, na televisão, no jornal e, agora, aqui, na Internet, que é mais conveniente se dizer: "Eu penso..." "Eu sugiro..." "Eu conjecturo...".

Mestre-escola

Quando se pergunta como terá sido a festa, é comum se ouvir de resposta: "Lá tinha um horror de gente". Acontece isso simplesmente porque a língua portuguesa tem uma palavra, ror, para significar grande quantidade. O correto, então, seria: "A festa foi muito animada, a começar pelo fato de que um ror de gente interessante compareceu."