Morrendo pela boca

Na Espanha, aprendi a comer angulas, que é um fruto do mar exclusivo do Mediterrâneo, parecendo um fio de macarrão ou uma cobrinha. Serve de entrada e é bastante caro, tanto que eu só tive acesso porque um saudoso amigo meu, empresário Ramon Diaz, convidou e pagou.

Morrendo pela boca

Incluo pelo menos um prato de restaurantes brasileiros entre os meus favoritos, trata-se, no caso, do Steak Diana, que me serviam no Copacabana Palace, um filé cortado rente, ao molho madeira, propício a ser acompanhado de um tinto.

Não morra pela boca

Lata aberta não deve ser conservada na geladeira, nem que seja de azeite, o conteúdo será posto em plástico, vidro ou louça, nessa ordem preferencial.

Não morra pela boca

As verduras em questão são altamente recomendáveis, quais sejam, agrião, alface, chicória, couve, escarola, espinafre, repolho e salsa.

Não morra pela boca

Excesso de alimentos doces e açúcar branco podem provocar humor instável, vulnerabilidade às infecções e atrapalhar a função do baço, do fígado, do pâncreas e dos intestinos.

Não morra pela boca

Evite ovos fritos ou em conserva, que são ricos em gordura saturada, que eleva o colesterol.

Não morra pela boca

Prefira feijão cozido sem gordura animal nem sal. Evite feijão em lata, com açúcar, sal ou conservante. O feijão é uma fonte fantástica de nutrientes que ajudam a reduzir o colesterol, mas seu valor nutritivo se esgota quando é enlatado, com gordura e sal.

Não morra pela boca

Na lista de alimentos mais perigosos não podem faltar leite de vaca, doces, gorduras e café, que, quando tomado em excesso, pode ensejar gripes e resfriados.

Não morra pela boca

Processo de criação de frangos comerciais faz com que animais doentes possam ocupar o centro da mesa. Vai daí, a dra. Gillian McKeith recomendar aves de criação orgânica, as chamadas caipiras ou pé-duro, que vivem à solta.

Não morra pela boca

Se tiver problemas musculares, de juntas ou ossos, evite alimentos tais tomate, batata, beringela e pimenta. Quem sofre de artrite deve evitar as solanáceas, que contêm uma substância chamada solanina, que interfere nas enzimas dos músculos, provocando dor e desconforto.