Não morra pela boca

A dra. Gillian McKeith recomenda você nunca ir pra cama de estômago cheio, pois fará mal aos órgãos digestivos, ao coração e ao fígado, além de prejudicar o seu desempenho.

Não morra pela boca

Diga “não, obrigado” aos alimentos fritos comercialmente. Assim, compre um sanduíche de frango grelhado, em vez da versão empanada, e programe uma salada, em vez de batatas fritas.

Não morra pela boca

Evite sua cota de estresse eliminando ou reduzindo ao mínimo o consumo de doce, cafeína, álcool, gordura, laticínios, carne vermelha, pão branco, farinha branca, comida apimentada e aditivos conservantes.

Não morra pela boca

Peixe frito com batata e churrasquinho no espeto são pró-colesterol, portanto formam na lista negra.

Não morra pela boca

Quem tem alergia a carne crua deve dar as costas para a churrasqueira, que só faz tostar por fora.

Não morra pela boca

O desjejum inglês contribui pra elevar o colesterol às alturas, contém duas fatias de toucinho, uma de linguiça, uma de pão frito, uma porção de feijão, um ovo e um tomate.

Não morra pela boca

Os gotosos apresentam, no alto dos impedimentos, miúdos de frango, exemplos, moela e coração, e, ainda mais danoso, se acompanhados de cerveja.

Não morra pela boca

Geralmente provocada pelo consumo quantitativo de alimentos gordurosos ou condimentados ou por comer depressa demais, a indigestão pode ser aliviada com vinagre de maçã, que é um maravilhoso tônico, bastando dissolver uma a duas colheres de chá em um pouco de água quente e tomar devagar, antes da refeição.

Morrendo pela boca

Na Espanha, aprendi a comer angulas, que é um fruto do mar exclusivo do Mediterrâneo, parecendo um fio de macarrão ou uma cobrinha. Serve de entrada e é bastante caro, tanto que eu só tive acesso porque um saudoso amigo meu, empresário Ramon Diaz, convidou e pagou.