Não morra pela boca

Excesso de alimentos doces e açúcar branco podem provocar humor instável, vulnerabilidade às infecções e atrapalhar a função do baço, do fígado, do pâncreas e dos intestinos.

Não morra pela boca

Evite ovos fritos ou em conserva, que são ricos em gordura saturada, que eleva o colesterol.

Não morra pela boca

Prefira feijão cozido sem gordura animal nem sal. Evite feijão em lata, com açúcar, sal ou conservante. O feijão é uma fonte fantástica de nutrientes que ajudam a reduzir o colesterol, mas seu valor nutritivo se esgota quando é enlatado, com gordura e sal.

Não morra pela boca

Na lista de alimentos mais perigosos não podem faltar leite de vaca, doces, gorduras e café, que, quando tomado em excesso, pode ensejar gripes e resfriados.

Não morra pela boca

Processo de criação de frangos comerciais faz com que animais doentes possam ocupar o centro da mesa. Vai daí, a dra. Gillian McKeith recomendar aves de criação orgânica, as chamadas caipiras ou pé-duro, que vivem à solta.

Não morra pela boca

Se tiver problemas musculares, de juntas ou ossos, evite alimentos tais tomate, batata, beringela e pimenta. Quem sofre de artrite deve evitar as solanáceas, que contêm uma substância chamada solanina, que interfere nas enzimas dos músculos, provocando dor e desconforto.

Não morra pela boca

Exagerar nas carnes vermelhas pode intoxicar e acidificar o sangue, destruir o cálcio, esgotar os rins e o fígado e matar a flora benéfica dos intestinos.

Não morra pela boca

Diga “Não, obrigado” aos alimentos fritos comercialmente. Assim, compre um sanduíche de frango grelhado, em vez da versão empanada, e programe uma salada, em vez de batatas fritas.

Não morra pela boca

Coma peixe com mais frequência, comer muitos peixes gordurosos, ricos em ômega 3, como salmão e cavala, reduz o risco de câncer de próstata, segundo estudo feito em Estocolmo, na Suécia, com mais de seis mil homens.