Sessão das quatro

Pouca gente conheceu essa casa exibidora, o Cine Toaçu, da Cadeia Barros Leal, na ala leste da Praça José de Alencar, e onde assisti à Ingrid Bergman em O Médico e o Monstro, com Spencer Tracy e Lana Turner.

Sessão das quatro

Uma das ocorrências folclóricas relacionadas ao Majestic, que segundo o cinéfilo e saudoso Darcy Costa foi o cinema mais marcante do Estado, é que, como não podia entrar de tamanco na sala, o pessoal deixava o dito cujo na entrada do banheiro masculino. Acontece que, antes do filme propriamente dito, tinha a série, que era o que mais interessava. Assim, quando esta terminava, os mais espertos iam até o reduto do tamanco, deixavam o seu e pegavam um mais novo, daqueles que permaneciam lá dentro.

Sessão das quatro

Roberto Rosselini jantava com sua mulher Anna Magnanni em restaurante de Roma, quando o garçom lhe entregou uma mensagem. Ela desconfiou que seria da Ingrid Bergman, com quem o diretor iniciava um romance. Então, derramou uma travessa cheia de espaguete no marido e se mandou para sempre. Ele nunca mais a viu.

Sessão das quatro

Ingrid Bergman nunca comungou com suas colegas atrizes de Hollywood. Isso porque se tratava de uma atriz, não de uma estrela. Nada impede que seja ou que fosse as duas coisas juntas. Por exemplo, Bette Davis era atriz e estrela. Porém, a sueca era só atriz.

Vesperal das moças

“Cidadão Kane” é apontado pelos cinéfilos como o maior filme de todos os tempos, só que não foi, porque não merecem essa láurea filmes que não caíram no godo da plateia feminina. Sendo assim, o maior foi “Casablanca”.

Sim, é verdade

Quando atriz Mylene Demongeot esteve no Ceará, fui eu quem a ciceroneou, de quem se dizia ser a provável sucessora de Brigitte Bardot, e seu marido, fotógrafo famoso na Europa, que quis me levar junto, achando que daria um excelente modelo fotográfico.

Sessão da tarde

Clark Gable foi talvez o maior galã do cinema, tendo inclusive protagonizado “E o Vento Levou…”, com Vivien Leigh, que, por sinal, lhe roubou a cena. A propósito, as mulheres não o beijavam com prazer total, pois era dotado de mau hálito.

Sessão da tarde

A principal colunista de Hollywood, Louella Parsons, era odiada pelas estrelas do cinema, por ser de índole picante e fofoqueira. Depois de alguns uísques, ela não podia sustentar o pipi e fazia ali mesmo, na mesa da Buate Ciro’s, à vista de todos. Os atores se despediam dela, mas não iam embora, permaneciam na calçada, só pra ver o desenlace, era a vingança deles.