Vã filosofia

Se o cidadão lhe ataca bêbado, e no dia seguinte aparece pedindo perdão pelo que fez, só que em bom estado, proceda como eu, que lhe direi: Olhe, você me ofendeu quando estava de porre, portanto só aceito suas desculpas durante outro pileque, que por ventura tomar.

Vã filosofia

Dinheiro não pago pode e deve ser cobrado, tudo dependendo do modus faciendi, escrevendo desta maneira no cartão: Aquela quantia que tive o prazer de lhe adiantar, se possível, me seria muito oportuna agora.

Vã filosofia

“Jantar Fritado” é como denomino em minha coluna jantares pesados, onde não se sabe o que é mais desagradável, se a comida ou se a roda.

Vã filosofia

Se você convida alguém pra sua casa e a pessoa dá uma desculpa e não vai. Chama uma segunda vez, e advém nova desculpa. Pode até ser que os motivos alegados fossem reais, porém comigo mesmo não, violão. Nunca dei chance de um terceiro convite.

Vã filosofia

A mãe nunca deve proclamar pras amigas que o filho só tira dez no colégio, pois as outras que estão ouvindo podem não ter pimpolho de igual apuração nos estudos.

Vã filosofia

Mãe que implica com a nora não pode, em sã consciência, dizer que ama o filho, que, afinal, foi quem a escolheu.

Vã filosofia

Há uma boa diferença entre ser sensível e ser emotivo. A sensibilidade vem lá de dentro, procede da alma, enquanto a emoção é puro corpo, é bem orgânica.

Vã filosofia

Se um amigo aniversariante não acenou com a possibilidade de receber em casa, você não deve cumprimentá-lo pelo telefone, pois pode sugerir que pretende ser incluído na lista, se houver festa. Uma mensagem telegráfica será mais conveniente e despertará menos suspeição de que se trata de uma jogada para ser convidado.

Vã filosofia

Hospedando em casa, você não tem nada que perguntar, no café da manhã, se o visitante dormiu bem, pela simples razão de que a resposta será afirmativa, embora podendo não ser verdadeira, pois seria total impertinência afirmar que dormiu mal.

Vã filosofia

Não é completamente In se pedir carona a quem parou o carro. Aquele que está na direção é quem pergunta aonde quer ir e, se for o caso, oferece a condução.