Golpe de mestre

“Malifício” está completamente errado, a forma correta é “malefício”, porque provém do latim “maleficiu”.

Golpe de mestre

Para estar correto com o vernáculo, escreva Meritíssimo, nunca, jamais, Meritíssimo.

Golpe de mestre

A expressão “pedir renúncia” é completamente despropositada porque renúncia não se pede, renúncia se estabelece, e ponto final.

Golpe de mestre

Pessoa bem vernaculada nunca inicia uma frase com “Eu acho”, preferindo “Eu penso”, “Eu suponho” ou “Eu calculo”, porque o verbo “achar”, no sentido acima, soa por demais imperialista.

Alias

“Apelido” em inglês é “alias”, que é o forte do laboratório de criação deste repórter.

Golpe de mestre

Opção é uma só, portanto está errado se dizer “hoje tenho duas opções, cinema ou teatro”.

Golpe de mestre

Segundo o prof. Myrson Lima, o adjetivo “ebúrneo” significa “de marfim” ou, mais precisamente, “alvo e liso”.

Golpe de mestre

O “a”, na frase “Vou a Roma”, não leva crase, porque você nunca diz “A Roma é uma bela cidade”. Porém, o “a”, na frase “Vou à Itália”, apanha crase, porque a gente diz “A Itália é um belo país”.

Golpe de Mestre

Segundo o Prof. Sérgio Rodrigues, Vinicius de Moraes errou em seus famosos versos Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure, pondo posto que de conjunção explicativa, contrariando a gramática tradicional.

Golpe de Mestre

De Sérgio Rodrigues: o advérbio absolutamente não nega sempre, pois tem a ambiguidade de sentido, quando isolado pode significar também totalmente e inteiramente.