Um novo Brasil

Neste domingo, 28, estou sentindo um gostinho de um novo Brasil!

Fundo

Uma coisa inegável: os lamentáveis políticos brasileiros conseguiram levar o país ao ridículo em todo o mundo. Nesse aspecto, iremos qualquer dia pro Guinness Book, A Nação Mais Suja do Planeta, sendo Brasília tida e havida como a capital mais corrupta.

Tirada famosa

O grande Carlos Lacerda discursava no Palácio Tiradentes, com a costumeira veemência. A trêfega deputada Ivete Vargas, sobrinha de Getúlio, pede um aparte e proclama: Vossa excelência é um ladrão. Lacerda retrucou: Mas como, se eu sou conhecido por combater a roubalheira dos políticos? Ivete explicou: O senhor é um ladrão da honra alheia. E Lacerda fulminou: Então, a senhora não deve temer, pois nada tem para eu roubar.

Fundo

A imprensa em geral costuma apregoar a democracia, proclamando “Democracia acima de tudo”. Acontece que não é bem assim, pois o povo brasileiro não está nem aí, pretendendo, antes, que botem comida em sua desvalida panela.

Celeiro

O Descobridor da Quinta Cidade do Brasil, batismo ministrado pelo repórter a Vicente Cavalcante Fialho, nosso maior prefeito.

Celeiro criador

410 da Barão de Studart, foi como este repórter, e, depois dele, quase todo mundo, passou a chamar a casa então pertencente ao senador Fausto Cabral onde Virgílio Távora morou durante I Veterado e depois serviu também de residência pra seu sucessor Plácido Castelo.

À guisa de explicação

O AAAA é um almoço trimestral criado pelo notário público Cláudio Aguiar, que, faz dez anos, congrega, em mesa de dez, os mais diversos setores da sociedade, político, empresarial, representantes do Executivo, Legislativo e Judiciário, profissionais liberais, já teve dois generais e até um padre. Só cavalheiros têm assento, e ali se conversa e se come muito bem, sempre a cargo do Chef Ferroso. AAAA significa Almoço Aguiar Amizade Ancoradouro, que é o nome do residencial onde acontece.

Diretriz

Se não acabar com o voto obrigatório, de nada vai adiantar uma ou mais eleições. A obrigatoriedade de votar é uma das mazelas do sistema atual, eivado de tonterias políticas. A queda do voto obrigatório, por um lado, e a aprovação da pena de morte, por outro, são necessidades peremptórias para livrar o País do verdadeiro caos em que vivemos.

Diretriz

Em solenidade à qual o Governador estará presente, nenhuma outra autoridade poderá se fazer representar, vai ou não vai. Agora, em banquete, o cerimonial também é rígido, nem o Governador pode se fazer representar.