Flagrante delito

Havia um deputado pelo Estado do Rio, capital Niterói, que, antes de eleito, só havia ocupado um cargo de destaque, a Presidência da Caixa Econômica, suscitando, então, pesadas suspeitas sobre a legitimidade da fortuna amealhada. Logo após 64, convidou aquele que assumiu a chefia da Revolução vitoriosa, Costa e Silva, para um jantar. Champagne francesa, caviar do Irão, louça da Companhia das Índias e serviço Vermeil, que é o mais caro do mundo, pois talheres de prata banhada a ouro. Terminada a refeição, o general despediu-se e, chegando em casa, ligou para o chefe do Grupo de Cassações, determinando: Põe fulano na lista, pois esse eu vi que é ladrão.

Laboratório da criação

O grande Nelson Rodrigues tachava de “Padre de Passeata” aqueles que procuravam se envolver com os protestos das ruas, aí então este repórter bolou “Padre de Sacristia” para dizer dos sacerdotes que se deixam ficar na igreja, dando pouca ou nenhuma pelota para os problemas sociais.

Ponto de vista

A esquerda de hoje resulta daquela esquerda festiva, que, após a Revolução de 64, ocupava os bares de Ipanema, com mil soluções para “não resolver” os problemas do País, e tomando todas, tanto que alguns morreram, inevitavelmente, de cirrose.

Lá em cima

No Iracema Plaza, onde morei por 25 anos, deitei e rolei, recebia quase semanalmente, e, não raro, as festas amanheciam, até mesmo para algumas eu estabelecia o black-tie.

Um novo Brasil

Neste domingo, 28, estou sentindo um gostinho de um novo Brasil!

Fundo

Uma coisa inegável: os lamentáveis políticos brasileiros conseguiram levar o país ao ridículo em todo o mundo. Nesse aspecto, iremos qualquer dia pro Guinness Book, A Nação Mais Suja do Planeta, sendo Brasília tida e havida como a capital mais corrupta.

Tirada famosa

O grande Carlos Lacerda discursava no Palácio Tiradentes, com a costumeira veemência. A trêfega deputada Ivete Vargas, sobrinha de Getúlio, pede um aparte e proclama: Vossa excelência é um ladrão. Lacerda retrucou: Mas como, se eu sou conhecido por combater a roubalheira dos políticos? Ivete explicou: O senhor é um ladrão da honra alheia. E Lacerda fulminou: Então, a senhora não deve temer, pois nada tem para eu roubar.

Fundo

A imprensa em geral costuma apregoar a democracia, proclamando “Democracia acima de tudo”. Acontece que não é bem assim, pois o povo brasileiro não está nem aí, pretendendo, antes, que botem comida em sua desvalida panela.

Celeiro

O Descobridor da Quinta Cidade do Brasil, batismo ministrado pelo repórter a Vicente Cavalcante Fialho, nosso maior prefeito.

Celeiro criador

410 da Barão de Studart, foi como este repórter, e, depois dele, quase todo mundo, passou a chamar a casa então pertencente ao senador Fausto Cabral onde Virgílio Távora morou durante I Veterado e depois serviu também de residência pra seu sucessor Plácido Castelo.