Sentado com o Rei

Uma vez, uma vezinha só, sentei-me à mesa de Pelé, cara a cara com ele, aconteceu no Hotel Reis Magos de Natal, no aniversário de Clodoaldo, estando também capitão Carlos Alberto e o ex-craque, na época treinador do Santos, José Macia, o Pepe.

Grandes momentos

Quando participei do Baile de Carnaval do Copacabana Palace, ensejado por um empresário paraense, que havia convidado a vedete Wanda Moreno, mas a sua mulher chegara na véspera de Belém, então me convidou pra fazer às vezes.

Os mais mais

Para saudoso Aécio de Borba, atribuí o “Bicampeonato do Ibope”, primeiro, a Uirapuru, nos anos 50s, e depois, Dragão do Mar, nos 60s.

Contagem

Foram doze os fundadores do Ideal, só que, oficialmente, entretanto, são treze, porque Clóvis Alencar Matos, primeiro secretário eleito presidente dos Diários ou Iracema, alguns dias depois pediu pra sair e indicou Fernando Pinto pro seu lugar.

Os Nota 10

Entre 150 aprovados, obtive o décimo lugar no vestibular de Direito, em 1960, e as minhas provas orais de Português e Latim tiveram até plateia, pois sabia só tudo.

Os Nota 10

No Marista Cearense, percebi impossível ser primeiro na turma da manhã, pois tinha na minha frente Vicente de Paula Pereira Barbosa Vieira, que tirava dez em todas, José Maria Mota Sá, em todas, menos uma, e Pitombeira, em todas, menos duas. Eu era o quarto, e o jeito foi me mudar para a turma da tarde, e só então pude agradar minha mãe, obtendo o primeiro lugar no Primeiro Colegial.

Momentos são

Posse do bendito general Ernesto Geisel, a última que exigiu casaca, e eu trajava uma do Domenico, portando um convite do deputado peemedebista Fernando Lyra, conseguido pelo Fernando César. Na oportunidade, dr. Parsifal Barroso me apresentou ao vice-presidente general Adalberto Pereira dos Santos. Verifiquei que estava em minoria, usando sapato de verniz, como estabelece a etiqueta.

Viagens que ficaram

A mais inesquecível das minhas rodagens pelo mundo foi a baixada na China, e lá já se vão 40 anos, quando o país vermelho ainda era um mistério. Fiz parte de um grupo de jornalistas, três do Sul, Rio Grande, Santa Catarina e Paraná, três de São Paulo e três do Nordeste, Bahia, Pernambuco e eu pelo Ceará. Éramos convidados da Japan Air Lines, e quando desembarcamos em Pequim, fazia frio e sol e nevava, e quase chorei, me perguntando como é que um beradeiro da Aurora podia estar na terra do grande presidente Mao.

Jamais te esquecerei

Bar do Copacabana Palace, onde ia todas as tardes, para encontrar a turma do Bety (Holandino Rocha, repórter de O Cruzeiro, tio do ministro César Asfor), onde predominava outro cearense, o Sérgio Petezoni, neto do abolicionista Alfredo Salgado. Cada um que saía deixava o dinheiro do que tinha consumido debaixo do copo. Eu quase sempre ficava por último e então pedia a conta. Nunca faltou um tostão.

Jamais te esquecerei

A roda de pife-pafe mais seleta da cidade, da qual fui protagonista. Trata-se, no caso, da que formava minha querida amiga Lurdes Gentil, no Beco da Alegria da Rua Tabajaras, onde hoje parece funcionar uma instituição da Engenharia. Acontecia às sextas-feiras e não servia jantar, apenas coxinhas de galinha. Frequentar aquela turma foi uma glória para mim, em termos verdes, naturalmente.