Fala, coração

Quando eu era jovem, ou melhor, mais jovem, não tomando conhecimento da liseira reinante, pegava um avião, passagem de graça, e ia pro Rio, onde também não pagava hotel. Mesmo assim, precisava de algum, para poder circular, e então telefonava pro grande empresário Audísio Pinheiro, que sempre me convidava para, dia seguinte, tomar café no seu apartamento no Morro da Viúva, de onde nunca saí com menos de dez (não sei o que seria hoje em Real, mas durava duas semanas).

Cinema de véspera

Tem um filme, que pouca gente sabe, pouca gente viu, mas foi apontado por Luis Bunnel como um dos melhores de todos os tempos, com que concordo inteiramente. Trata-se, no caso, do "Retrato de Jennie", de Vincent Minelli, com Jennifer Jones e Joseph Cotten, que, não faz muito, vi pela décima vez no Cine Rin-Tin-Tin, do Cumbuco.

Bola passada

Quem foi o maior, Pelé ou Maradona? Não pretendo meter a minha colher na delicada escolha. Só quero dizer que Maradona deu mais à Seleção argentina em Copa do Mundo do que Pelé, que, numa, entrou quebrado e, nas outras duas, quebrou-se durante.

Bom comportamento

À mesa de refeição, não soa bem usar lenço, ainda que daqueles bordados. O guardanapo deve ser sempre utilizado. Até para se assoar, pois os anfitriões, ou os próprios serviçais, se encarregarão, imediatamente, de substituir por outro.

Apanhado político

Quando assumiu Ministério da Aviação, no governo parlamentarista de Tancredo Neves, Virgílio Távora veio ao Ceará e convocou uma reunião de todos os seus comandados daqui, entre outros Correios, DNOCS, DNOS e RVC, onde aconteceu. Todos esperavam uma pergunta de trabalho, porém VT iniciou assim: "Os senhores acham que eu sou um grande ministro?" Surpresos, a calação foi geral, ensejando a seguinte saída do grande político: "Tomo o silêncio como uma afirmativa."

Ilustradas | Clique aqui para ver as fotos

Geraldo Luciano, civil do comando Aquiraz, e governador Camilo Santana, no AAAA. Wilma Patrício com Leita e Sebastião Arraes, na Ponta da Praia. (By Evando) Com minhas copãs viageiras Silly Carvalho, Vânia Canamary e Bel de Sá. Padre Saraiva, vigário da Parquelândia, adepto e um tanto biógrafo de dom Hélder Câmara. [Leia mais]

Ilustradas | Clique aqui para ver as fotos

Bolo valendo 63 anos de batente do jornalista diário mais antigo do mundo. Luís Campos, meu pai, e um dos seus netos mais diletos, Felipe Bezerra, banquista. Ítala Ventura, primeira Miss Country, mas que não desfilou, impedida pelas freiras da Imaculada, com coronel Adauto Bezerra, o governador gentleman. (By Rodrigues) Com vitorioso educador Tales de [Leia mais]

Etiqueta

A etiqueta mais comezinha recomenda que nunca se deve dar a mão a uma pessoa sentada à mesa, fazendo ou prestes a fazer uma refeição, pois a obriga a ir imediatamente ao toalete lavar as mãos.

Mestre-escola

Quando se pergunta como terá sido a festa, é comum se ouvir de resposta: "Lá tinha um horror de gente". Acontece isso simplesmente porque a língua portuguesa tem uma palavra, ror, para significar grande quantidade. O correto, então, seria: "A festa foi muito animada, a começar pelo fato de que um ror de gente interessante compareceu."

Bola passada

Essa história de que tem jogador de clube e jogador de seleção é a pura verdade. E tenho dois exemplos nas maiores torcidas, Zico e Roberto Dinamite, grandes craques no Flamengo e no Vasco, mas que pouco fizeram na Seleção, sobretudo em Copa do Mundo. E mais remotamente, Domingos da Guia, considerado o Pelé da Defesa, que na Copa da França, em 38, não conseguiu ser nem a sombra no escrete do que era fora dele.