Pia

“Bisturi Afiado” foi criação deste repórter para acentuar competência cirúrgica do dr. Galba Lobo.

Pia

Batizei de “Bracau” agência do Bradesco em Caucaia, onde, por sinal, sou correntista, embora peba. Aliás, o pessoal de lá é muito cortês e facilitativo.

Batismos de ouro

Rianil, a loja azul da Floriano Peixoto, para tecidos e granito, que só vendia sapatos para homens, loja de calçados da Guilherme Rocha.

Batismo de Fufa

Uma das melhores denominações que eu presenciei em minha ainda curta vida foi a da Sapataria A Esquisita, de Wilson Araújo, o primo de Edyr Rolim.

Batismo de fogo

Uma das minhas inspirações favoritas foi quando decidi denominar confreira Adísia Sá, que teve participação no meu ingresso em jornal, de A Pequena Notável.

Usina de criação

“Malvidade” foi uma das recentes invenções deste repórter, para significar “novidade ruim, má notícia”, ninguém gosta, e eu ainda gosto menos.

Batismo de fogo

Rockfeller Center, foi assim que batizei o empresário Beto Studart, ex-presidente da Federação das Indústrias.

Pia batismal

Um dos apelidos que me deixaram mais feliz foi o que botei no cirurgião Glauco Lobo, O Bisturi Afiado.

Batismo de fogo

Panela, restaurante do Iracema Plaza, onde morei por um quarto de século, foi assim batizado por mim, que sugeri esse nome ao Chico Philomeno. Durante algum tempo, foi o favorito da alta sociedade, até que um gerente do hotel, ligado ao copo, estipulou fechar às dez horas, que era quando o pessoal, após fazer a base na casa de um ou de outro, começava a chegar.

Cópia

Em minha coluna, apelidei de “Maria Mata-Borrão” aquela recebente que copia o filé das outras. Quando ela o convoca, você já sabe o que vai degustar, basta se informar qual foi o menu do último jantar acontecido.