Batismo de fogo

Irmão Civil, para aquele amigo que é demais, porém não tem laços de sangue.

Pia batismal

Uma das minhas criações favoritas reverenciou querida amiga Margarida Borges, “A Delegada Que Só Prende Por Amor”.

Pia batismal

“Aristocracia da Laranja Que Quando Amargou Virou Mel”, enunciação para o patriarca de Russas, Jeová Costa Lima, e sua frota.

Batismo

“Amendoim Torradinho”, para Armenuhí Boyadjian, Rainha de Santa Cruz.

Pia batismal

M. Dias Branco, “Sempre de Braços Abertos Para Crescer”, slogan radiofônico criado por este repórter, para o grupo do Aquiraz.

Batismo

De “Mãe da Parede”, para saudosa Ignez Fiúza, que foi quem “povoou” as casas dos bacanas, ou, algumas vezes, nem tanto, pois admitia à prestação.

Batismo

“Amendoim Torradinho”, para Armenuhí Boyadjian, Rainha de Santa Cruz.

Batismo de fogo

"A Moça das Esmeraldas", para Consuelo Dias Branco.

Batismo de fogo

"Faz-Festa", para Sílvia Moysés, que é sempre portadora de alegria, quando baixa em reunião social.

Batismo de fogo

"Descobridor da Quinta Cidade do Brasil" foi criação deste repórter, para homenagear Vicente Fialho, maior prefeito que Fortaleza já teve.