Tomando

Se a sopa está quente, nunca sopre, para torná-la mais bebível, nem também levante e baixe a colher, em movimento parecido com alfenim em engenho.

Parada godê

Quando eu morava em Fortaleza, num jantar em sua casa, distinta senhora e eu entramos em peleia, ela se manifestando contrária a quem canta na mesa, enquanto, bem mais logicamente, eu defendia que não existe hora mais apropriada para se expressar alegria do que durante uma refeição, cantando.

Assunto pessoal

Não aprecio estender minha mão, pois acho que o que transmite suor não é higiênico. Minha opção é um abraço de leve ou palmadinha no ombro ou pescoço. Ou melhor ainda, um aceno de cabeça.

Estórias com E

Esta é do Al Capone e muito aplicável nos dias que correm, sobretudo, no Brasil: Pior que um ladrão é um ladrão em cargo público.

Evitar

Os donos da casa jamais devem perguntar ao hóspede, na manhã seguinte, se dormiu bem, pois a resposta inevitável será que sim, embora talvez não o tenha. Mais pertinente é perguntar o que pretende fazer naquele dia ou se ajuda dos anfitriões será necessária para o bom êxito do programa.

Palpite

São as pessoas que me deixam enjoado, não o mar. (Albert Einstein)

Paiol velho

O presidente do Estado, como se chamava Governador naquele tempo, João Tomé mandou um correligionário ao Secretário da Justiça, para que fosse nomeado. Dias depois, o auxiliar veio despachar e foi cobrado, explicando que não o fizera porque não havia vaga, ouvindo então do João Tomé: O senhor não nomeou, porém meu Secretário da Justiça vai nomear. Quer dizer, estava demitido.

Parada godê

Cartão social só leva o nome da pessoa, outros dizeres são postos a tinta, na frente de quem recebe, tais endereço e telefone.

A hora do gole

Não procede que sopa e vinho não combinam, pois existe um espanhol, de Xerez, que casa muito bem, sobretudo, quando não é servido frio, em cálice um pouquinho maior do que os que se prestam ao licor.